Blog

ritmo

Vendo Artigos etiquetados em: ritmo

Capoeira e Cantoria para todos

INFORMATIVO CULTURAL DO BRASIL REAL

Bom dia a todos, Saúde e Paz Sempre…

SÃO BENTO GRANDE E SANTA MARIA… (Homens e mulheres de bem com a vida )

O COURO NA MARCAÇÃO, AI O BERIMBAU APARECE, JUNTO COM O CAPOEIRISTA…

O gunga pergunta e a viola arenga, somente se souber o tocador.

Todos os jogadores, tocadores e mandingueiros estão convidados.

Todas as jogadoras, tocadoras e mandingueiras estão convidadas.

A praça é do povo que quer a praça. É assim a capoeira, do povo para o povo…

Neste sábado 25 de outubro das 16 as 18 horas,
continuamos com capoeira, ritmo, cantoria e jogo de camaradas.

ESTAMOS NA DÉCIMA RODA DO PASSEIO…

PUBLICAREMOS UMA RELAÇÃO DOS QUE JÁ ESTIVERAM NESTA FESTA.

VAMOS ATÉ DEZEMBRO DESTE ANO…

Um abraço Fraterno a todos e a todas…
Walter Júnior ( Capoeirista )

Mestre Chiquinho Correa: DVD SAMBA CAPOEIRA

Francisco Levino Correa da Silva in arte Mestre Chiquinho Correa, é um brasileiro poliedrico Professor de Estudos Sociais, compositor, interprete, musico, pesquisador , dançarino, coreografo, mestre de capoeira angola do Grupo olo+xum = ( A energia com o amor ) aluno de Mestre Brasilia, mestre de samba, forró, salsa etc.., vive em Bolonha -Italia; desde 1990;
 
Tem uma coluna sobre a capoeira e o samba na web: http://musibrasil.net/
 
Criador do CD e DVD didatico Samba Capoeira Agosto/2006
 
Autor da Musica TIM TIM TIM BERIMBAU que saiu em novembro como homenagem a capoeira e ao samba na Rede de Televisão Italiana RAI UNO no programa musical infantil " Zecchino de Ouro "
 
www.oloxum.com – e.mail: [email protected] – Tel + 39 3334924237
 
Divulgação: DVD SAMBA CAPOEIRA – MESTRE CHIQUINHO – BOLOGNA – ITALIA

http://it.youtube.com/watch?v=ndTnfVK9U7c
Samba aula 1 – Cavaquinho, pandeiro e passos Mestre Chiquinho – Bologna – Italia – 100% Brasileiro
Samba aula 1 – cavaco, pandeiro e passos – Capitúlo 08 querendo copie e divulgue esse link que é um trabalho em defesa da nossa cultura.  Obrigado. Amém! Mestre Chiquinho – www.myspace.com/oloxum –  www.oloxum.com – Workshop: e.mail – [email protected]  – fone +39 3334924237

http://it.youtube.com/watch?v=t7dgpK_uGTc
Samba aula 2 – Cafezinho com cheiro do semba do jongo etc; das nossas raizes
Samba aula 2 – Capitúlo 09 Tá na hora de sambar com o cafézinho uma idéia genial é só colocar em pratica copie e passe pra frente

http://it.youtube.com/watch?v=OyDKra2uTOE
Samba aula 3 – "Bola Bolinha" Um samba eterno para o futebol brasileiro
Samba de preto velho – Capitúlo 10 DVD Sou do norte, sou do sul, sou do leste. sou do oeste, sou Brasileiro. Um interprete famoso como Zeca Pagodinho, G. Revelação, etc; cantando esse samba no estilo de Bezerra da Silva, seria uma coisa bolada, passe a bola pra frente! 
 
http://it.youtube.com/watch?v=eXf0WBCXhmQ
Capoeira Angola roda tradicional DVD Samba Capoeira Mestre Chiquinho
Capoeira de Angola Capitúlo 03 Pra quem não conhece a beleza interior de cada um a capoeira de angola da essa
 possibilidade de se conhecer.  E o inicio para o mundo da capoeira: Não sou angoleiro Não sou regional Jogo capoeira pra mim é legal.
 
http://it.youtube.com/watch?v=TBTTKQuspVI
Capoeira angola dobrada DVD Samba Capoeira Olo+Xum –
Capoeira Angola Dobrada – Capitúlo 05 O jogo no toque de angola dobrada é duro, tive a inspiração de ser o primeiro a cantar sobre esse ritmo uma inovação para se aprofundir mais e mais no mundo da capoeira.
 
http://it.youtube.com/watch?v=kOvxMM3fZbM
Capoeira São Bento Grande de Angola Viva Canjiquinha participação de Mestre Brasilia e Plinio
Capoeira São Bento Grande de Angola Capitúlo 07 Esse ritmo é usado para as demonstrações e espetacúlos e não é regional no meio coloquei o ritmo do samango uma luta dura criada por Mestre Canjiquinha.
 
http://it.youtube.com/watch?v=uwj8t-wcvtw
Paolo Conte e Mestre Chiquinho – Musica Happy Feet
Paolo Conte, Mestre Chiquinho de peruca (mentira são meus cabelos rsrsrs e ainda tenho viu! Vou contar para minha mamãe!! Que vc me chamou de careca! rsrsrs ) mistura tip tap, capoeira e brek dance e dá uma de engraxate para sobreviver e dança!! Video premiado na Alemanha, França, Inglaterra, Italia …
 
Um abraço
Agradeço Amém!!!!!
Mestre Chiquinho 
Workshop
www.oloxum.comwww.myspace.com/oloxum  – e.mail – [email protected]  – fone +39 3334924237

 

 

 

É preciso ter força, raça, gana e… graça

Quem disse que a capoeira não é feminina? Flexibilidade e perda de peso são os principais benefícios da técnica que atrai cada vez mais Marias…

DANÇA, LUTA, JOGO, canto: pura arte brasileira – assim é a capoeira. O ritmo contagiante, a ginga e a energia que envolvem a roda vêm conquistando, dia a dia, mais e mais mulheres. A maioria delas começa a jogar por pura curiosidade e acaba se tornando praticante assídua do esporte, que é a cara do Brasil. “O sucesso entre elas se deve principalmente ao fato de ser uma modalidade democrática. Nela, a mulher luta em condições de igualdade com o homem. Muitas são, inclusive, campeãs”, explica o professor Paulo Renato Hermógenes de Oliveira, mais conhecido no grupo N’golo Capoeira como contramestre Paulo Renato. Leia mais sobre essa luta centenária e descubra quais benefícios ela pode trazer para seu corpo e sua mente.

uma arte apaixonante

Para quem assiste pela primeira vez, pode parecer uma simples brincadeira ou uma dança divertida, mas a capoeira é muito mais do que isso. Ela trabalha o corpo todo numa atividade constante, pois há momentos do treino em que se exige bastante força. Em outros, é preciso agilidade e muita, mas muita flexibilidade e equilíbrio. Isso, aliado à variação de ritmo, ora calmo, ora agitado, proporciona um grande gasto calórico, e quem pratica realmente emagrece muito. Em uma aula de 90 minutos uma pessoa pode gastar até 800 calorias! E o melhor: brincando! A capoeirista Juliana Veroneze, 30, do Grupo de Capoeira Filhos de Gandhi, de Mauá, na Grande São Paulo, notou as mudanças em seu corpo logo no primeiro mês: “Pratico há mais de sete anos e desde o início senti que estava com mais disposição e flexibilidade, até para desempenhar as atividades do dia-a-dia. Fiquei mais disposta e animada”, conta.

É, realmente a capoeira é democrática. Tem adeptos de ambos os sexos e das mais variadas idades. Janaína Pereira de Lira, 15, é capoeirista há mais de um ano. Ela começou a treinar porque gostava do ritmo contagiante. “Saio das aulas com a cabeça leve, relaxada, feliz”, explica.

“Durante o treino, há exercícios aeróbios e anaeróbios”, explica Paulo Renato. “A prática melhora o equilíbrio, desenvolve a noção espaço-temporal, estimula a flexibilidade, a força e o tônus muscular, além de melhorar a postura”, acrescenta o professor.

Mas os benefícios não param por aí. Há também a socialização, uma vez que, para jogar, é necessário ter sempre mais de uma pessoa. A própria roda de capoeira permite essa integração, pois possibilita que todos se enxerguem e participem do jogo.

O respeito ao próximo também é uma característica do esporte, já que na maioria das vezes o contato físico não é permitido. Assim, o capoeirista precisa desenvolver a consciência corporal para executar os movimentos com leveza e não encostar no companheiro. Tudo isso estimula a autoconfiança e o autoconhecimento, além de ajudar a superar os próprios limites sem invadir o território do outro.

FOTOS MANOEL MARQUESum pouco da história

Na triste e amarga época da escravidão, os negros eram aprisionados na África para serem trazidos de navio ao Brasil. Mais da metade deles morria durante a viagem por causa de doenças, como a desnutrição, e muitos se suicidavam. Os que chegavam por aqui eram acorrentados e comercializados como animais, leiloados em ruas e praças públicas e vendidos a preços altos para compensar os prejuízos do trajeto. A maioria era comprada para servir de mão-de-obra nos engenhos de cana-de-açúcar e trabalhavam cerca de 16 horas por dia, sem folgas e recebendo toda sorte de castigos imagináveis.

Durante os períodos em que não estavam trabalhando, eles se distraíam relembrando sua terra, cantando, dançando e mantendo os rituais que costumavam praticar. Em algumas aldeias africanas existia a seguinte tradição: quando uma jovem estava pronta para casar, os guerreiros da tribo disputavam a moça numa espécie de luta em que procuravam imitar os golpes de uma zebra. Essa luta chamava-se N’angolo. Nas senzalas, os negros começaram a desenvolver uma prática semelhante para batalhar por sua liberdade. Mas como os feitores e senhores de engenho permitiriam que eles aprendessem uma arte marcial? Para evitar problemas, eles fundiram a luta com danças. Praticavam-na em campos e matos de vegetação rasteira chamados de capoeiras (derivada da palavra tupi “caá-puéra”). Daí o nome do esporte.

O tempo foi passando e constantemente havia rebeliões com fuga de escravos, disputas e mortes, numa luta desesperada pela liberdade. Os negros que conseguiam fugir infiltravam-se na mata e formavam colônias chamadas quilombos; cada um tinha o seu rei ou ganga. O maior e mais conhecido foi o de Palmares, que se formou na área onde hoje está o Estado de Alagoas. Tratava-se de uma colônia imensa, dividida em aldeias chamadas mocambos. Palmares foi fundado por uma mulher, Acotirene, e posteriormente liderado por Camuanga, Zumba e Zumbi. Após um século de existência, resistindo a inúmeras tentativas fracassadas de destruição pela Colônia Portuguesa e expedições organizadas pelos senhores, o bandeirante Domingos Jorge Velho liderou a batalha que poria fim ao Quilombo dos Palmares e mataria Zumbi, capturando e trazendo os negros sobreviventes às senzalas. Acredita-se que a capoeira tenha se difundido entre os milhares de negros de Palmares, pois há testemunhos da época relatando que os quilombolas atacavam os soldados com “golpes de cabeça e de pé”. E quando Palmares foi destruído, a luta foi levada pelos prisioneiros, passando a ser difundida dentro das senzalas.

uma arte marcial diferente

Os movimentos dessa modalidade lembram os de outras práticas, como o caratê e o judô. Mas a capoeira é a única arte marcial que é feita com acompanhamento musical. Isso se deve basicamente à necessidade que os escravos tinham de enganar os senhores de engenho e capitães-do-mato para poderem treinar. No início, esse acompanhamento era feito apenas com palmas e toques de tambores, mas hoje é composto por uma série de instrumentos. A parte musical tem ainda ladainhas, que são cantadas e repetidas em coro por todos os componentes da roda. Dizem que para ser um bom capoeirista é preciso saber tocar e cantar todos os temas da capoeira.

Outra diferença em relação às demais modalidades é que a capoeira tem um número relativamente menor de golpes. No entanto, eles podem atingir uma harmoniosa complexidade por meio de suas variações.

Mas o grande destaque dessa luta é a malícia, a malandragem, a ginga de corpo, que engana o adversário, podendo ser decisiva em uma competição.

FOTOS MANOEL MARQUESa capoeira desenvolve:

no físico
resistência: É preciso manter o pique durante toda a luta.
agilidade: Os movimentos mudam de direção e sentido a toda hora.
flexibilidade: Na capoeira prevalecem os gestos amplos. velocidade: Para surpreender o adversário sempre que for possível.
equilíbrio: É preciso manter o domínio do corpo em algumas posições mais complicadas. coordenação: Para responder aos golpes com os braços, tronco e pernas, tudo ao mesmo tempo.
ritmo: O jogador sempre acompanha a música.

no emocional
relaxamento: Ela ajuda a liberar a agressividade, ainda que o esporte não estimule a violência.
atenção: É preciso estar atento o tempo todo ao que acontece na roda.
persistência: Os golpes só ficam perfeitos depois de muitas tentativas. coragem: Aos poucos, o medo de fazer certos movimentos desaparece.
malícia: A capoeira desenvolve a malandragem, deixa os instintos aguçados e ajuda a compreender melhor as situações e os olhares ao redor.

outros benefícios da capoeira:

– o diálogo corporal, a improvisação, a inteligência do corpo, a necessidade de agir, o equilíbrio, assim como as noções de espaço, tempo, ritmo, música e compreensão da filosofia de jogo, são princípios fundamentais ensinados dentro da capoeira.
– para o corpo é perfeito! Os movimentos mexem com todos os músculos, desenvolvendo uma série de qualidades físicas.
– alívio das tensões, reflexos mais rápidos e mais força muscular.
– com um pouco de persistência, o seu fôlego vai ficar muito melhor, porque a prática constante (pelo menos 3 vezes por semana) estimula o sistema cardiorrespiratório.
– definição dos músculos abdominais, muito solicitados durante o treino.

 

Texto sugerido por: Shion

Estilo Natural Online: http://estilonatural.uol.com.br

Telefone: (11) 5682-9201 — e-mail:
[email protected]

PUBLICAÇÕES DA SÍMBOLO EDITORA Femininas: Corpo a Corpo, Ouse, Uma. Bem-estar: Dieta Já, Estilo Natural, Viva Saúde, Família: Meu Nenê, Quarto do Nenê, Gravidez Feliz, Primeiro Enxoval. Masculina e Negócios: Um, Vida Executiva. Semanais: Chega Mais, Mais Feliz.

Cuiabá: 9ª Prefeitura em Movimento: Oficinas de Capoeira conquistam crianças

Centenas de crianças participam de oficinas e se divertem na Tenda Circense montada pela Secretaria da Cultura de Cuiabá, na 9ª da Prefeitura em Movimento, que contempla 10 bairros da regional sul, do pólo III, de 13 a 18 de março. O espaço para as artes está montado no bairro Osmar Cabral e abriga uma série de atividades, envolvendo também ações de outras secretarias.
 
Na tarde de quinta-feira, o palhaço Tampinha arrancou o riso da criançada. Em seguida, o mestre Macarrão, idealizador do Grupo de Capoeira Lendas do Cativeiro, ensinou noções de Capoeira para mais de 20 crianças. Mestre Macarrão desenvolve o projeto no Osmar Cabral desde o ano passado, reunindo 30 crianças de 8 a 15 anos, e conta com a parceria da Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria da Cultura.
"Iremos ampliar o projeto, alcançar mais bairros", adiantou Macarrão, que destaca a importância da capoeira na vida das pessoas. Segundo ele, a criança aprende a ter mais disciplina, tocar berimbau, atabaque, cantar, refletindo num melhor aprendizado na sala de aula. No sábado, todos os capoeiristas do Grupo Lendas do Cativeiro vão participar das atividades na Tenda Circense. Outra oficina que conquistou a turminha foi a de Pandeiro, ministrada por Caçula do Pandeiro. Ritmo e manuseio do instrumento de percussão conduziram a aula, que terminou com a elaboração de coreografia. Na noite, o show da Aptus ganhou o picadeiro.
Na sexta-feira, as atividades começam a partir das 9 horas e seguem durante todo o dia com oficinas de capoeira, hip hop, percussão, samba, mostras de cinema, performances circenses, e a alegria do palhaço Tampinha. O show fica por conta do eletro ritmo da Mingau Mix. (Ana Cristina Vieira/PMC)

Portugal: Capoeira ganha novo espaço em Mogadouro

Depois de mais de 7 meses lecionando a "céu aberto", na Praça da Fonte Nova em Mogadouro, o Grupo de Capoeira que tem o mesmo nome da Vila, ganha um novo espaço para continuar desenvolvendo o seu trabalho, com melhores condições, nas instalações da Escola Primária de Mogadouro- EB1.
 
Sempre na busca de uma dinâmica e de uma participação efetiva da comunidade nas atividades desportivas e culturais, o Dr. Jacinto Galvão, Presidente da Comissão Executiva Instaladora do Agrupamento de Escolas de Mogadouro, foi o grande responsável por esta grande conquista e mais valia para o alunos da Capoeira Mogadouro.
As aulas são gratuitas e abertas a toda a comunidade e acontecem todas as Terças e Quintas nas Instalações da Escola Primária EB1, dás 19:30 hs às 21:00 hs (Inverno) / 20:00 hs às 21:30 hs (Verão)
Mais do que uma luta, a capoeira é hoje também dança, música, história e cidadania. É uma arte desportiva genuinamente brasileira que, de dia para dia, cativa cada vez mais jovens por todo o mundo, passando uma mensagem de vida, parceria e integração, na luta do dia-a-dia.
 
O Ministro da Cultura, Gilberto Gil, em seu discurso de agosto de 2004 na ONU, em Genebra afirmou:
" … Atualmente, a capoeira já é praticada em mais de 150 países. Nas Américas, no Japão, na China, em Israel, na Coréia, na Austrália, na África e em praticamente toda a Europa. A capoeira disseminou-se pelo mundo com entusiasmo. Mesmo sem falar português, um chinês, um árabe, um judeu ou um americano podem repetir o compasso da mesma música, a arte do mesmo passo e a ginga do mesmo toque."
 
Aproximadamente há quatro anos e meio, residindo em Mogadouro, Luciano Milani, natural de São Paulo, Brasil, e conhecido nas rodas capoeiristicas como “Milani”, decidiu implantar em Portugal, mais precisamente em Mogadouro a arte da capoeira, trazendo consigo toda uma cultura brasileira e a cerca de dois anos e meio, fundou o Grupo de Capoeira Mogadouro, por onde já passaram mais de 60 alunos, hoje o grupo conta com cerca de 18 integrantes.
 
A luta está sempre presente, até pelas suas origens – desenvolvida pelos escravos do Brasil como forma de resistir aos opressores, praticada em segredo e recorrendo à “ginga”, movimento que lembra a dança e à música, para assim “enganar” os patrões (Escravistas / Senhores de Engenho / Grandes Fazendeiros, etc…).
“Respeito, malícia, disputa, brincadeira” são elementos presentes durante o jogo onde as canções são marcadas ao ritmo do berimbau, instrumento "rei" da capoeira, sob um ritmo contagiante e profundo.
 
Quem entra na roda para jogar, entende que o respeito e a cidadania, inerentes do "JOGO", são fundamentais dentro do universo da capoeiragem, pois a capoeira deve ser praticada dentro de um preceito básico, determinado por 3 PILARES FUNDAMENTAIS:
RITMO, RITUAL e RESPEITO
TRÊS "ERRES" FUNDAMENTAIS
 
"Capoeira é uma palavra estranha…
que se escreve com um "rê" suave…
e se pratica com três "erres"…
o primeiro é o RITMO… o segundo o RITUAL..
o terceiro é o RESPEITO…
sem os quais não se joga capoeira!"
 
Mestre Decanio, Presidente de Honra do Grupo Capoeira Mogadouro.
 
 
Agradecimentos especiais a toda a equipe de docentes e funcionários do Agrupamento de Escolas de Mogadouro, a toda a Comissão Executiva e ao Professor Manuel Paulo Borges, Diretor responsável pela Escola Primária EB1 de Mogadouro.
 
Read More

Cronica: O Espírito de um Capoeira

O Camarada Shion, lá da Parnaíba – Piauí, nos enviou esta cronica, que nós do Portal Capoeira esperamos que seja a primeira de muitas… onde o autor nos retrata a visão e o sentimento do "Espírito de um capoeira"…


Tudo começa em um momento de quase acaso. Passeando em uma praça arborizada, repleta de sons de pássaros ao fim de uma tarde. Os raios do sol estão mansos, provocam uma sensação formidável com seu calor terno. Em um repente, apenas um barulho produzido por um instrumento curioso, acompanhado de palmas e cantos num ritmo que anima e prende a atenção. Pais, mães e filhos são direcionados – parecendo uma ação inconsciente – àquela curiosa roda formada por pessoas contentes e sincronizando um mesmo pensamento.
 
Como se fossem guiados por uma força estranha, quem estar de fora dessa roda sente-se atraído e convidado a acompanhar – mesmo q sendo na simples batida do pé – uma música que é entoada com emoção e força.
 
Sob olhares curiosos e surpreendidos, pernas e braços realizam acrobacias e movimentos que encantam e fascinam quem participa daquela roda. A musicalidade parece a força motriz de toda aquela gente que canta e luta num ritmo da ginga característica.
 
Este é um cenário típico da nossa arte Capoeira. Uma atividade que fortalece nossas capacidades físicas e, conseqüentemente, enaltece nossas faculdades mentais.
 
Sempre gostei de acompanhar rodas de capoeira. Sentia-me bem – mesmo q só observando – em presenciar aquelas manifestações de alegria e festividade. Infelizmente, por conta de limitações de minha saúde – à época  – não era possível minha participação de forma efetiva e direta.
 
Hoje, sadio, pratico capoeira. Satisfação enorme em estar em contato com essa arte! A cada dia crio novos vínculos amistosos e me perco na imensidão de informações que faz dessa arte algo ímpar. Estórias, lendas e mitos fazem dessa arte um “não sei o quê” de mistérios, causos e surpresas!
 
Quando vem a reflexão, confirmo que minha atração pela capoeira se deva pela simplicidade que una todos no microcosmo da roda de axé. Costumamos dá vazão às coisas complexas e sem utilidade, ao fim. E a capoeira nos faz seguir sempre na retidão da igualdade. Dentro de uma roda, Mestres, Graduados e Novatos respiram o mesmo ar e escutam a mesma música, sem distinções. Todos são iguais naquele momento. Preto- branco, rico-pobre… não há espaços para padrões sociais de segregação.
 
Confesso que a capoeira me redirecionou  às trilhas do “ser simples”. Particularmente, minhas atividades cotidianas me faziam distantes das coisas simples que compõem a vida. Sinto que estou em voga novamente. Graças ao esforço pessoal por meio da capoeira.
 
A capoeira em sua totalidade não cabe em algumas linhas, definitivamente. Mas também sei que essa mesma capoeira permite manifestações que preencham livros e livros ou apenas uma frase – esta q seja dita com satisfação e verdade.
 
Talvez seja por isso que nossa arte abrace todos! A arte-ginga não se resume a este ou aquele grupo… a capoeira é bem mais significativa, por mais que alguns acreditem no contrário. Uma minoria, felizmente!
 
Façamos então nossa parte em retribuição aos grandes Mestres do passado e aos atuais! Valorizemos os esforços colossais para uma imagem limpa e sem rasuras da nossa arte! Façamos por onde! Ações!
 
Precisamos mostrar para todos aqueles que insistem, que a capoeira é uma ferramenta importantíssima na imprescindível tarefa da educação. Os pais precisam de um reflexo nos boletins dos filhos, para que exista uma motivação. Os envolvidos na capoeira devem incentivar os respectivos alunos para que estes permaneçam a otimizar seus desempenhos nas salas de aula. A educação é a passagem mais fácil e eficaz na construção de um cidadão nato e firme nas próprias opiniões.
 
Dessa forma, quem trabalha na capoeira de coração poderá tirar dessa mesma o próprio sustento. Assim como qualquer outro ofício, viver da Capoeira para quem a ama, é a realização. E é apenas dessa forma educadora que um dia esta realidade será testemunhada. 
 
Vamos agir, colega velho! Cada camarada possui uma qualidade que o define. Usemos nossos atributos dentro e fora da roda. Vamos falar, expandir, corrigir, errar e acertar! O que não vale é a morosidade e a acomodação. Cada grupo de capoeira possui uma força enorme! Basta atentar para tal fato.
 
“Capoeira é defesa e ataque, é ginga no corpo, é malandragem! É licuri que quebra dendê! E quem não conhece capoeira, não pode dá seu valor!”
 
Iê, Capoeira!
 
Shion
Grupo Muzenza
Parnaíba – Piauí

FUNDAMENTOS DA CAPOEIRA

Os fundamentos da capoeira ou, como usam, incorretamente, alguns descuidados da nossa língua, suas “fundamentações“, vêm sendo discutidos com certa freqüência a partir do uso infeliz desta palavra pelo Mestre Noronha, que se disse conhecedor único dos seus mesmos, sem os enunciar nos seus obscuros “escritos”…
Em trabalho algum encontrei, nem ouvi, conceito, nem definição, do emprego deste vocábulo pelos autores, o que vem aumentando a confusão entre os mestres e capoeiristas dum modo geral. É que nos meios populares baianos, especialmente nos terreiros de candomblé e nas rodas boêmias, o termo adquire uma conotação bem diversa daquela encontrada nos clássicos e dicionários de nossa língua. Uma vez que nestes grupamentos sociais, esta palavra é usado em referência à parte mais secreta e profunda do culto ou prática, somente acessível as camadas mais elevadas da comunidade, adquirindo então um atributo de secreto, sagrado, inacessível aos não-iniciados, ensinamento esotérico, hermético, misterioso, mágico

 

 

“Hoje vejo reduzido, os capoeirista, perdeiram suas
forças de vontade, não procuram o fundamento,
só querem a prender a propria violencia.

 

O trecho acima, manuscrito pelo Mestre Pastinha, ilustra o emprego do termo “fundamento” pelos antigos capoeiristas no sentido de essência de conhecimentos sobre a capoeira, seus princípios morais, seu ritual, sua prática e seus efeitos sobre o comportamento de cada capoeirista, a razão de ser do seu ritual e do comportamento do jogador, bem como a sua origem, a influência relativa de cada um dos seus componentes, sua música, seu ritmo, seus cânticos, etc.

 

Concordando com Esdras “Damião” na estranheza do uso de Fundamento e Fundamentação no linguajar dos capoeiristas antigos e modernos (dialeto capoeirano?) vivo procurando porque tanto ênfase neste conceito.

 

Do longo convívio nos meios de capoeira, nos centros de candomblé e durante a prática médica nas classes menos favorecidas pela Deusa da Fortuna, posso extrair vários sentidos encontrados.
Inicialmente impõe-se o sentido de conhecimento teórico ou prático sobre assuntos de qualquer natureza, independente de estudos formais.
Quando se fala em idéia ou comportamento sem fundamento indica-se a falta de razão subjacente ou de base para tal.

 

Há uma nuança de mistério, de sacralização, quando empregada em referência a conhecimento reservado a certos grupos sociais como dos feitos do candomblé. Como no caso dos antigos mestres que se proclamavam detentores dos fundamentos da capoeira… somente eles o possuíam…
Ser conhecedor dos fundamentos da seita ou de qualquer outro ramo de atividade humana, social, científica ou artística é altamente valorizado nestes ambientes culturais baianos; motivo de orgulho e jactância, algo muito especial e envaidecedor.

 

É com admiração que se diz: “Fulano conhece muito bem os fundamento de samba!”, enquanto outros estufam o peito e se gabam de serem os únicos conhecedores disto ou daquilo… especialmente entre os menos favorecidos de inteligência, cultura e sobretudo, modéstia… apesar de bem providos de auto-estima e vaidade.
É freqüente e natural, o entitulado “de conhecedor dos fundamentos” desdenhosamente se recusar a transmitir aos não-iniciados aqueles mistérios sagrados, dotados de poder mágico.

 

A atrapalhação provocada pelo emprego descuidado desta palavra por alguns estudiosos pouco habituados ao linguajar popular baiano, especialmente do seu uso nas rodas boêmias e nos terreiros de candomblé, aumentou pelo aparecimento de divagações literárias em torno de assunto, cuja definição e conceito os autores sequer conheciam, sem se aperceberem da leviandade, nem da gravidade da falha da científica cometida… palavras bem entoadas, frases bem torneadas, porém vazias… diríamos “sem fundamento” num barzinho da rua do Julião!

 

A propósito de “FUNDAMENTO” o “Novo Dicionário Aurélio”arrola os seguintes significados:

 

  1. Base, alicerce.
  2. Razões ou argumentos em que se funda uma tese, concepção, ponto de vista, etc.; base, apoio.
  3. Razão, justificativa, motivo.
  4. Aquilo sobre o que se apoia quer um dado domínio do ser (e então o fundamento é garantia ou razão do ser), quer uma ordem ou conjunto de conhecimentos (e então o fundamento é o conjunto de proposições ou de idéias mais gerais ou mais simples de onde esses conhecimentos se deduzem).
Do acima transcrito entendo que devemos a aceitar por definição como “fundamentos da capoeira” a sua razão de ser e as justificativas de sua maneira de ser, isto é os elementos que a identificam como “SER” em nosso mundo conceptual.
A primeira indagação que surge em nossa mente ao analisar o assunto é:

 

QUE É O JOGO DE CAPOEIRA?

 

A resposta técnica é:
“A capoeira baiana é um processo dinâmico, coreográfico, desenvolvido por 2 (dois) parceiros, caracterizado pela associação de movimentos rituais, executados em sintonia com ritmo ijexá, regido pelo toque do berimbau, simulando intenções de ataque, defesa e esquiva, ao tempo em que exibe habilidade, força e autoconfiança, em colaboração com o parceiro do jogo, pretendendo cada qual demonstrar habilidade superior à do companheiro.
O complexo coreográfico se desenvolve a partir dum movimento básico denominado de gingado, do qual surgem os demais num desenrolar aparentemente espontâneo e natural, porém com um objetivo dissimulado de obrigar o seu parceiro a admitir a própria inferioridade.
Dentre as características mais importantes da capoeira destacamos a liberdade de criação, a estrita obediência aos rituais, a preservação das tradições, o culto dos antepassados e o respeito aos mais velhos como repositório da sabedoria comunitária.”
Ou poeticamente:

 

“A capoeira é uma luta…
ensinada e praticada como dança!

 

… pode ser usada como defesa…
e como ataque…
numa hora de “percisão”!
nas palavras dos Mestres
Bimba e Pastinha!

 

A capoeira é uma arte…
a arte de bem viver…
DISPUTADA COMO LUTA…
“mata até sem querer!”
… dizia Mestres Bimba…
“e o bom da vida é não morrer!”
… completava Mestre Pastinha!

 

OS FUNDAMENTOS DA CAPOEIRA

 

A prática da capoeira se desenvolve obedecendo aos seguintes parâmetros:

 

  1. movimentos rituais ritmodependentes
  2. ritmo ijexá regido pelo berimbau
  3. disciplina e respeito à tradição, aos mais velhos e aos companheiros
  4. parceria
  5. movimentos em esquiva, circulares e descendentes
  6. dissimulação de intenção
  7. alerta, calma, relaxamento e autoconfiança permanentes
  8. estado de consciência modificado (transe capoeirano), que analisaremos a seguir.
MOVIMENTOS RITUAIS RITMODEPENDENTES

 

O conjunto dos movimentos dos participantes para ser reconhecido como jogo de capoeira deve ser ajustado ao ritmo/melodia do toque da orquestra e obedecer às regras tradicionais de cada estilo, especialmente àquelas que garantem a segurança da sua prática, i.e., a não-violência.
A capoeira baiana é, por definição e princípio, uma luta dissimulada sob forma de dança ou uma dança guerreira, ou ainda como declarou José Roberto“Pingo” (18 anos), aluno e filho pela capoeira de Mestre Canelão (Natal, RN):

 

“A capoeira não é violência, é um esporte, uma brincadeira sadia… a luta fica escondida.”

 

Além do enquadramento dos movimentos ao ritmo e à melodia, é indispensável a estrita adesão ao seu ritual, isto é, às regras tradicionais que regem sua prática e garantem a segurança dos participantes. Um acordo de cavaleiros, um código de honra, transmitido pela tradição oral entre as gerações, desde suas origens, como disse o Venerável Mestre Pastinha:

 

 

1.4.21 – …”aprender municiosamente ás regras da capoeira”…
“… todos aqueles que queira se dedicar a esse esporte, que como capoeirísta; quer como juiz? Deve procurar minuciosamente ás regras da capoeira de angola”; para que possa falar ou dicidir com autoridade. Infelizmente grande parte de nossos capoeiristas tem conhecimento muito incompleto das regras da capoeira, pois é o controle do jogo que protege aqueles que o praticam para que não discambe exesso do vale tudo,”…

 

(8a, 15-23; 8a, 20-23; 8b, 1-2)

 

Assim o Venerável Mestre Pastinha sabiamente reitera…
… é indispensável o código honra…
… a ser obedecido pelos capoeiristas, pois ..
… “é o controle do jogo”…
… pelo juiz… pelas regras… regulamentos…
… e pelo ritmo da orquestra…
… “que evita a violência e os acidentes”…
… vale a repetição!

 

RITMO IJEXÁ

 

Por ser uma manifestação coreográfica do ritmo africano ijexá o enquadramento dos movimentos da capoeira ao mesmo é fundamental à sua prática, conservando a continuidade da sua dinâmica, sem que se quebre a seqüência dos mesmos.
O andamento do toque ijexá leva uma estado transicional de consciência calmo, pacifico, prazeroso, possibilitando um jogo sem violência e bem cadenciado, permitindo aos parceiros estudo, análise, reflexão e criação de gestos rituais capazes de enriquecer o cabedal de reflexos de defesa, de esquiva e contra-ataques, que compõem o perfil do comportamento do verdadeiro capoeirista.
A aceleração excessiva do andamento provoca um estado de excitação incompatível com a calma indispensável à prática da capoeira, além de impossibilitar o gingado, transformando uma atividade lúdica em agressiva e potencialmente lesiva ou letal.
A observação dos movimentos rituais gerados pelos diferentes toques de atabaques, especialmente entre o ijexá dum lado e aqueles de alujá e adarrum, esclarecerá nitidamente a importância da cadência do toque da orquestra no desempenho dos parceiros do jogo de capoeira, do seu comportamento e estado mental.

 

DISCIPLINA E RESPEITO À TRADIÇÃO,
AOS MAIS VELHOS E AOS COMPANHEIROS

 

Nas sociedades de cultura oral, como as africanas, o liame entre as gerações é indispensável à sobrevivência do grupamento e dos indivíduos, valorizando os mais velhos como depositários confiáveis da sabedoria e da experiência, imprescindíveis à educação dos mais jovens e menos experientes.
Manifestação cultural pela sua própria natureza, a capoeira depende da aproximação das gerações, o que integra a sociedade transformando-a num monólito, capaz de resistir às influências externas e perdurar no tempo.
A postura de respeito aos mais velhos certamente conduz àquela de respeito, estima e consideração aos companheiros de geração, os seus parceiros, unindo o grupo social, transformando-o numa família, num clã, num agrupamento tribal, numa unidade fundamental indissolúvel (com “sprit de corps”, diria o Gal. Liauty) à qual todos se orgulham de pertencer, como todos fazemos com nossa roda de capoeira.

 

PARCERIA

 

Do respeito às tradições e aos mais velhos facilmente alcançamos a noção de parceria, indispensável ao aprendizado, ao ensino e à prática da capoeira.
A capoeira, atividade fundamentalmente guerreira, intrinsecamente belicosa, potencialmente lesiva e mortal, não pode ser praticada sem confiança recíproca, sem um compromisso de não-agressividade, de não-violência, de respeito mútuo, como são as suas tradicionais regras do jogo, o seu ritual.
A este elo de camaradagem e respeito mútuo chamamos de “parceria”, sem ele, morreriam todos os alunos no início do aprendizado ou desistiriam, tal a gravidade das suas lesões!
Sem a parceria, cada “volta do mundo” seria uma batalha, com morte do vencido e sem vencedor.
A Capoeira seria então o próprio Apocalipse e cada Mestre o seu Cavaleiro!

 

MOVIMENTOS EM ESQUIVA,
DESCENDÊNCIA E CIRCULARIDADE

 

Dizem os orientais que a esfera é a forma da perfeição e o círculo sua expressão mais autêntica.
Na dança ritual do candomblé os movimentos são circulares, manifestando em cada segmento e no conjunto o acoplamento ao toque (ritmo e andamento) de cada orixá.
Os movimentos circulares são os únicos que propiciam a esquiva, o escape da linha direta do ataque sem o afastamento para traz, que dificultaria ou impossibilitaria o contra-ataque.
Na capoeira, os movimentos, principalmente os deslocamentos, devem ser circulares ou melhor esféricos, girando em torno do centro de gravidade do parceiro, escapando ao seu ataque e contornando o seu flanco à procura dum ponto fraco ou abertura na guarda.
As esquivas descendentes, geram movimentos melhor apoiados no solo, portanto mais seguros, permitindo também a procura dos pontos mais baixos do corpo, habitualmente os mais vulneráveis, do adversário simulado.
Com a vantagem de que o jogador pode usar nesta postura os quatro membros e a cabeça como pontos de apoio no solo, além de dispor de maior amplitude de deslocamento, que pode aumentar a velocidade e força viva dos ataques e contra-ataques.
Sem falar que a rasteira, antigamente tão usada no jogo de capoeira e hoje tão raramente presenciada, é mais facilmente executada em posição mais agachada.
A atitude de esquiva é fundamental na capoeira, protegendo o praticante dos ataques, enquanto permite aproveitar a quebra da guarda, que sempre ocorre durante o movimento de ataque, para um contra-ataque oportuno.

 

DISSIMULAÇÃO DE INTENÇÃO

 

Decorrência da definição e conceito da capoeira baiana como uma dissimulação de luta sob forma de dança, adquire a simulação de intenção e a dissimulação de propósito ou de objetivos, um papel preponderante nesta vadiação dos mestiços do recôncavo baiano.
Joga melhor o mais inteligente, o mais manhoso, o mais malicioso, o mais enganador; o que conseguir convencer o companheiro de algo que jamais fará e se aproveitar do gesto em falso do parceiro para desferir o seu golpe verdadeiro.
É preciso “pegar” o parceiro desprevenido, depois de atraí-lo para o laço, para a armadilha em que o mesmo se enredará sem violência e sem maior esforço de parte do atacante.
O floreio, especialmente aqueles executados com os membros superiores, por não afetarem a postura e equilíbrio, nem exigir deslocamento espacial, é o instrumento mais adequado para simulação de ataques e/ou dissimulação de intenção ou objetivo. O floreio mais eficiente é aquele que traz no seu bojo potencial de ataque a ser desencadeado instantaneamente no momento propício.

 

ALERTA, CALMA, RELAXAMENTO
E AUTOCONFIANÇA PERMANENTES

 

O capoeirista necessita manter contínua sintonia com a mente do parceiro para detectar suas reais intenções e assim poder antecipar-se aos seus gestos e movimentos, seja de floreio, seja de ataque ou de esquiva.
Desta postura mental brota naturalmente o permanente acoplamento do indivíduo ao ambiente vizinha. Uma eterna vigilância. Um nexo inconsciente entre o indivíduo e o meio, que empresta ao capoeirista um ajustamento instantâneo às variáveis exteriores, sejam físicas ou espirituais, que o conduz à premunição dos perigos e às reações, defensivas ou de esquiva, adequadas.
Muitas vezes o contra-ataque surge, surpreendente como relâmpago em dia de sol, como bote de jararaca aparentemente adormecida.
Na minha opinião, esta é a razão maior da influência comportamental nos deficientes, da melhoria do rendimento intelectual concomitante e das suas condições psicológicas.
Somente a calma absoluta permite o relaxamento indispensável ao desencadeamento dos reflexos de defesa, ataque e contra-ataque com tempo mínimo de latência.
Apenas em perfeita tranqüilidade conseguimos manter o estado de alerta em relaxamento, capaz de liberar todas as vias neuroniais, aferentes e aferentes, para o trânsito dos estímulos periféricos e reações motoras reflexas, inconscientes e instantâneas, de esquiva, defesa, ataque e contra-ataque características do capoeirista durante o jogo ou em momento de perigo.
Podemos assim valorizar a advertência do Venerável Mestre Pastinha ao declamar:”Quanto mais calmo o capoeirista… melhor para o capoeirista…”
Com o passar do tempo, a repetição interminável de situações de perigo aparente ou real. O eterno suceder de imprevistos que desencadeiam reações instantâneas, algumas surpreendentes, porém sempre adequadas, gera uma atitude inconsciente de autoconfiança. A qual facilita mais ainda o desenvolvimento deste processo de preservação da integridade do SER, a jóia mais preciosa que a capoeira pode oferecer ao seu aficionado.
É a tranqüilidade dos fortes” ou, como prefere Esdras “Damião”, “a calma é a virtude dos fortes!

 

ESTADO DE CONSCIÊNCIA MODIFICADO
(TRANSE CAPOEIRANO)

 

Sob a influência do campo energético desenvolvido pelo ritmo-melodia ijexá e pelo ritual da capoeira, o seu praticante alcança um estado modificado de consciência em que o SER se comporta como parte integrante do conjunto harmonioso em se encontra inserido naquele momento.
O capoerista deixando de perceber a si mesmo como individualidade consciente, fusionando-se ao ambiente em que se desenvolve o jogo de capoeira. Passando a agir como parte integrante do quadro ambiental em desenvolvimento. Procedendo como se conhecesse ou apercebesse simultaneamente passado, presente e futuro (tudo que ocorreu, ocorre e ocorrerá a seguir) e se ajustando natural, insensível e instantaneamente ao processo atual.

 

TRÊS “ERRES” FUNDAMENTAIS

Capoeira é uma palavra estranha…
que se escreve com um "rê" suave…
e se pratica com três "erres"…
o primeiro é o RITMO… o segundo o RITUAL..
o terceiro é o RESPEITO
sem os quais não se joga capoeira!

{mmp3}capoeira_ensina.mp3{/mmp3}

 

A Musicalidade na Capoeira

Vários grupamentos sociais em diferentes locais e épocas sempre se utilizaram da dança e do canto com diversas finalidades. Dentre as mais comuns, destacamos as ligadas às atividades lúdicas como as cantigas de roda e as várias modalidades do nosso samba: o samba rural, o samba de roda e o samba de barreiro, cujo prazer da companhia é a tônica principal. Temos também as ligadas às celebrações religiosas, sejam nos pontos de Candomblé ou de Umbanda ou ainda nas manifestações de religiosidade populares como nas trezenas de Santo Antônio.
Read More

1º Batizado Capoeira Mogadouro

 
É com imensa alegria que o Grupo Capoeira Mogadouro
 
comemora o seu 1º aniversário!!!
 
E prepara a sua festa…
 
1º Batizado de Capoeira
 
Dia 16 de Julho de 2005, a partir das 16:00 horas na Casa de Cultura – Vila de Mogadouro – PT
 


Tema do Batizado: jesus, vigotisky, capoeira e cidadania

 Angelo Augusto Decanio Filho
 
Ø      Jesus pregou a cidadania como Lei Divina
o        Somos todos irmãos
 
Ø      Vigotisky concebeu a cidadania como decorrência lógica da vida em sociedade e cooperação inter-pares
o        A vida em sociedade ou grupo baseia-se na cooperação entre seus membros ou pares1
o        Nenhum homem se constrói HOMEM sem a cooperação de OUTRO HOMEM2
 
Ø      A capoeira materializa a cidadania pela indispensabilidade de respeito e confiança mútua entre os seus praticantes
o        A Capoeira parece um embate de corpos, mas é um encontro de corações em clima de harmonia, felicidade e amor3
 
1 Peer em inglês
2 Vigotisky
3 AADF 

  
Programação:
 

  • Apresentação dos trabalhos em homenagem a Mestre Bimba e Mestre Pastinha.
  • Leitura do Texto ORIGEM E PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA NA CAPOEIRA  de autoria de Angelo Augusto Decanio Filho.
  • Apresentação de duas músicas de autoria do Grupo.
  • Roda de confraternização.
  • Entrega dos Certificados de conclusão da primeira etapa na caminhada da "capoeira”, assinados por nosso “Presidente de Honra” Angelo Augusto Decanio Filho – Mestre Decanio.
  • Entrega dos Cordões.
  • Jantar de comemoração – Um ano de Capoeira. 

    Agradecimento: Câmara Municipal de Mogadouro
  •  
     
    Coordenação: Professor Luciano Milani
     
    Apoio Cultural:
     

    Agradecimento especial: Mestre Decanio, um ser humano impar, cidadão e guerreiro incansável que dedicou uma vida a capoeira e nos brindou com sua obra e sabedoria.
     
    Tenha a certeza de que mesmo o senhor não estando fisicamente presente estará presente em nossos corações e presente na própria capoeira… no ritmo Ijexá… ritmo do coração…
     
    Muito Axé, Saúde e Paz em sua caminhada…
    Read More