03 Mar 2005

PRÁ BATÊ NOS OTARU!

(Para bater nos otários) Bimba ao falar sobre a eficiência da regional sempre enfatizou o elemento surpresa como fator decisivo, evidenciado na

03 Mar 2005

(Para bater nos otários)

Bimba ao falar sobre a eficiência da regional sempre enfatizou o elemento surpresa como fator decisivo, evidenciado na sua expressão:

"A regioná num seuve pa brigá c’us companhêro… é prá batê nos otaru!"
(A regional não serve para brigar com os companheiros… é para bater nos otários!)

PORQUE …

  • todos os capoeristas conhecem seus recursos e limitações, tão bem quanto as esquiva e defesas,
  • enquanto os que desconhecem a sua prática (os leigos ou otários) podem ser surpreendidos pelos seus movimentos.
  • A primeira parte da frase acentua a importância do companheirismo que deve existir entre seus alunos, mais evidente noutras recomendações corriqueiras no meu tempo:
    • "A luta regioná num seuve p’a brigá cum ôtru regioná, é bom prús otáru… cúns colega a gente joga regioná…" (A luta regional não serve para brigar com outro regional, é bom para os otários… com os colegas nós jogamos a regional…)
    • ou ainda "A genti num deve lutá nu berimbau, deve jogá!" (Não devemos lutar no berimbau, devemos jogar!)

Deste modo verificamos que o Mestre Bimba não preconisava "lutas" entre os seus alunos…
O "esquenta-banho" servia para treinamento de defesa pessoal, de movimentos proibidos sob o ritmo de berimbau, para treinamento de manobras novas, como "tira-teima", drenagem da agressividade ou diferenças pessoais, logo arrefecidas pelo banho frio sob o jato d’água do cano do banheiro, especialmente quando alguém "entrava pelo cano" durante o "esquentamente"…
Acredito que em vida o Mestre jamais aceitaria a desunião e o enfrentamento dos irmãos que deveriam formar uma única família, a dos filhos de Bimba!

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

7 + twelve =