Catador de papelão conquista o Campeonato Berimbau de Ouro em Sorocaba
03 Jan 2007

Catador de papelão conquista o Campeonato Berimbau de Ouro em Sorocaba

Bruno Henrique de Oliveira mostra que o esporte ajuda a superar as suas dificuldades   Com apenas 15 anos, Bruno de Oliveira (à

03 Jan 2007
Bruno Henrique de Oliveira mostra que o esporte ajuda a superar as suas dificuldades  
Com apenas 15 anos, Bruno de Oliveira (à direita) divide seu dia entre a escola, aulas de capoeira e coleta de recicláveis 
A mesma força e determinação que usa para recolher materiais recicláveis na rua, Bruno Henrique de Oliveira, 15 anos, usa na prática da capoeira. O garoto venceu o Campeonato Berimbau de Ouro, realizado no Ginásio Municipal de Sorocaba Dr. Gualberto Moreira, no dia 17 de dezembro. Como prêmio, ele levou uma bicicleta e medalha de participação.
 
O evento reuniu 258 crianças e adolescentes assistidas pelo projeto social da Associação Mundo Inteiro de capoeira. Eles foram divididos em oito categorias e precisaram mostrar volume de jogo, técnica e expressão corporal. Não houve contato físico entre os atletas para evitar acidentes.
 
Oliveira, que trabalha diariamente como catador, participa semanalmente das aulas do esporte na Pastoral do Menor Agente Jovem, no Jardim Ipiranga. “Ele é muito esforçado e nos deu alegria pela vitória na competição”, disse orgulhosa a monitora da Pastoral Ana Cristina da Silva.
 
Sobre o futuro, Oliveira disse que pensa em se tornar um agente jovem da Pastoral do Menor e ensinar tudo que aprendeu. “Seria uma forma de agradecer tudo estão fazendo para melhorar a minha vida, para torná-la um pouco melhor”, a firmou o capoerista.
 
Para o organizador do evento, Claudinei Siqueira, o mais importante nessa competição é mostrar que o esporte pode ajudar crianças a encontrar um novo caminho. Ele disse que a preocupação maior está em formar cidadãos de bem.
 
Uma vida de superação
A rotina de Bruno Henrique de Oliveira não é nada fácil. Ele acorda todos os dias antes das 7h e vai para a escola e à tarde participa das aulas de capoeira na Pastoral do Menor. Quando a noite começa, o garoto sai em busca de material reciclável e volta para casa às 2h. “Prefiro sempre fazer algo que possa me ajudar e a minha família do que ficar na rua”, disse o garoto, que ajuda a mãe a sustentar seis irmãos.
 
Todas as noites, ele sai de sua casa no Jardim Ipiranga e vai caminhando até o shopping Esplanada. “Saio com meu carrinho vazio e sempre volto com ele cheio”, afirmou satisfeito.
 
Projeto nas entidades
O projeto de capoeira da Associação Mundo Inteiro é executado durante todo o ano em entidades beneficentes que atendem a crianças e adolescentes carentes.
 
Ao todo, 1.500 meninos e meninas aprendem os fundamentos da capoeira em aulas ministradas por professores voluntários.
 
Eles são assistidos pelo Crami (Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos da Infância), Caps (Centro de Assistência e Promoção Social), Pastoral do Menor e Sab Ynaíba.
 
O coordenador do trabalho, Claudinei Siqueira, disse que a participação das crianças cresce a cada ano.
 
 
Fonte: http://www.bomdiasorocaba.com.br
Carlos Oliveira/ Agência BOM DIA
(carlos.oliveira@bomdiasorocaba.com.br)
 
Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

14 + 18 =