Blog

memorial

Vendo Artigos etiquetados em: memorial

Ciclo de Palestras Memorial da Justiça: Capoeira, Cangaço e Escravidão

Memorial da Justiça irá promover, nos dias 10, 11 e 12 de abril, seu primeiro Ciclo de Palestras. Na ocasião, serão discutidas questões relacionadas à escravidão, capoeira e cangaço, conforme folder anexo.

Convidamos todos a participarem conosco do evento.

As inscrições podem ser realizadas por meio do envio da ficha de inscrição anexa devidamente preenchida para o emailmemorial.educativo@tjpe.jus.br . A  ficha de inscrição também está disponível para download no site do TJPE (www.tjpe.jus.br).

As vagas são limitadas e serão ocupadas de acordo com a data e hora do envio da ficha de inscrição preenchida. Para que cada inscrição seja confirmada, email será enviado pela equipe da organização do evento para cada inscrito.

Conto com a presença de todos e peço que divulguem nosso Ciclo de Palestras.

*Preencher todos os campos e enviar para o e-mail: memorial.educativo@tjpe.jus.br
Celular:
Estado:
Cidade:
Nacionalidade:
CPF:
Formação/Instituição:
E-mail:Telefone:
CEP:
Bairro:
Rua:
Endereço/Contatos:
RG:
Nome (não abreviar, observar grafia correta)*:

Atenciosamente,
Mônica Pádua
Chefe do Memorial da Justiça do TJPE

Memorial da Capoeira Pernambucana

” A idéia de um projeto surge de uma percepção, de uma visão – Gil Cavalcanti, o Mestre Gil Velho “

Prezados amigos,

Bem-vindos ao Memorial da Capoeira Pernambucana, uma iniciativa de mestre Gil Velho, patrocinada pelo Ministério da Cultura através do seu programa Capoeira Viva/Petrobras.

O Memorial cumpre a sua meta: não ser apenas um acervo estático, contendo somente o registro da capoeira do passado, e o mapeamento dos personagens da capoeira atual e sua distribuição geográfica; mas, sim, mostrar a força sócio-cultural da capoeira do séc. XIX, nas cidades do Rio de Janeiro e Recife e criar estratégias de resgate desta relação, para os personagens e seus espaços de atuação da capoeira atual.

Desta forma, o Memorial Pernambucano confirma sua intenção de desenvolver uma estratégia, através do uso da capoeira como vetor sócio perceptivo; criando ações que venham estruturar programas de inclusão sócio cultural, nos espaços que a capoeira está inserida.

Em síntese: a proposta deste projeto, ressalta a riqueza e a singularidade da cultura de um determinado contexto sócio cultural, ao se direcionar para construção da capoeira baseado nas informações da memória genética do indivíduo.Com isto, abre-se a possibilidade, através de seus ritmos sócio culturais, de resgate dos hábitos e valores das comunidades locais integradas na sociedade contemporânea. Desta forma, estimula o elo entre ações culturais e ações inclusivas sócio ecológicas, ao por em foco; registros que têm como essência a valorização da sobrevivência dessas comunidades ligadas a seus valores e a suas perspectivas identitária e territoriais.

O levantamento dos registros e interpretação feita pelo projeto, sobre a capoeira pernambucana do séc. XIX é um grande subsídio ao processo de inventário do pedido de registro da Capoeira como Patrimônio Imaterial Brasileiro e em simultâneo é, também, um grande subsídio para criação do Centro de Referências da Capoeira pernambucana, virtual e de caráter transdisciplinar e multimídia, com o objetivo de abrigar produções científicas, acadêmicas e audiovisuais, dentre outras.

Esta pesquisa, junto aos seminários que foram realizados, subsidiou o planejamento das oficinas sócio-perceptivas ao juntar a comunicação gestual da capoeira aos ritmos sócios culturais pernambucanos, como podemos ver no Link “Ações do Memorial”.

Saudações do mestre Gil Velho e do Memorial da Capoeira Pernambucana.

 

  • Visite o site do Memorial : http://www.memocapoeirapernambucana.com.br

 

Sobre o Memorial

O projeto da criação do Memorial da Capoeira Pernambucana foi desenvolvido, no prazo estabelecido pelo Projeto Capoeira Viva. Memorial cumpriu, a sua meta de não ser um acervo estático, contendo somente o registro da capoeira do passado e o mapeamento dos personagens da capoeira atual e sua distribuição geográfica Mas sim, mostrar a força sócio Cultural da capoeira de Pernambucana do séc. XIX, e criar estratégia de resgate, desta relação, nos personagens e seus espaços de atuação, da capoeira atual.

A meta principal: aproximar a capoeira à realidade sócio cultural pernambucano, como estratégia de maior penetração desta, no contexto sócio cultural, foi o que direcionou projeto E, neste sentido, se complementa a ação do inventário, pois, ao associar, na construção da comunicação gestual da capoeira, elementos do universo rítmico do contexto sócio cultural pernambucano, se atingem as informações da memória genética dos indivíduos. E, com isto, além do resgate do processo e forma que estruturou a capoeira de outrora dos Brabos e Valentões, temos o resgate do indivíduo na percepção de sua participação, na construção de seu contexto sócio cultural.

Desta forma, o projeto do Memorial Pernambucano confirma sua intenção em desenvolver uma estratégia, através do uso da capoeira numa perspectiva sócio perceptiva; criando ações que venham estruturar programas de inclusão sócio cultural, nos espaços que a capoeira está inserida. Foi proposta a criação do Centro Nacional de Referências da Capoeira no Brasil, que será virtual, de caráter multidisciplinar e multimídia, com o objetivo de abrigar produções científicas, acadêmicas e sobre a capoeira.audiovisuais, dentre outras. Espera-se que essa iniciativa possa facilitar consulta de referências existentes .

Memorial da Capoeira Pernambucana

A CAPOEIRA LIBERTÁRIA E REVOLUCIONÁRIA

MEMORIAL DA CAPOEIRA PERNAMBUCANA

A capoeira na sua gênese, no século XIX, foi um dos elementos representativos da cultura de um espaço como o da cidade de Recife; tão diverso e mestiço sob o ponto de vista da origem e etnia de seus elementos componentes. Sua forma de expressar esta relação se deu através de uma comunicação gestual, onde os elementos deste cenário eram provenientes da interação entre as diversas categorias que criavam o tecido deste contexto cultural.

O memorial da capoeira Pernambucana, convida para seu seminário de abertura, dia 24 de fevereiro as 10 horas.
Seus coordenadores, Mestre Gil Velho e Mestre Mulatinho, apresentarão as ações e objetivos do projeto, com ensaios de capoeiragem pernambucana.

Programação

10:00 horas

Oficina: Musicalidade e comunicação gestual da capoeira Pernambucana
Mestre Gil Velho

13:00 horas

Mesa Redonda: A capoeira como regate contexto cultural do indivíduo. Mestre Gil Velho, Mestre Mulatinho e Mestre Corisco.

14:30 horas

Almoço e festa

Local: Rua Maria Digna Gameiro 237 Candeias.

Informações:

Tel: 99906174 33261221

e-mail: gilvelho@yahoo.com.br

Parque Memorial Quilombo dos Palmares é inaugurado em Alagoas

Mês da Consciência Negra – 2007
"CELEBRAÇÃO DO 20 DE NOVEMBRO EM ALAGOAS"

Parque Memorial Quilombo dos Palmares é inaugurado em Alagoas
O primeiro projeto arquitetônico de inspiração africana do Brasil, construído no Platô da Serra da Barriga, terá solenidade de instalação no dia 19 de novembro

 

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares é o primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana no Brasil e o único projeto afro-cultural em todas as Américas. A solenidade oficial de inauguração será realizada no dia 19 de novembro a partir das 11h, no platô da Serra da Barriga localizada no município de União dos Palmares (AL), há 92km da capital alagoana, com 5km de subida e 500m acima do nível do mar.

Idealizado pelo Instituto Magna Mater (IMM) o projeto homenageia guerreiros e guerreiras que lutaram por um ideal de liberdade e exalta o maior e mais importante de todos os quilombos. Foi viabilizado com recursos do Ministério do Turismo e patrocínio da Petrobrás, e entregue à Fundação Cultural Palmares no dia 24 de maio deste ano.
Na solenidade estarão presentes o Ministro da Cultura, Gilberto Gil; Zulu Araújo, Presidente da Fundação Cultural Palmares; Teotônio Vilela, Governador de Alagoas; autoridades locais; 250 quilombolas e representantes de grupos ligados ao movimento negro local.

Segundo Patrícia Mourão, Secretária Executiva do Instituto Magna Mater, "o Parque Memorial Quilombo dos Palmares é a materialização de um sonho de 20 anos do movimento negro brasileiro e de todos aqueles que acreditam na liberdade, na igualdade racial e social, cujo símbolo maior na história do Brasil foi a saga do Quilombo dos Palmares", declarou.

Inauguração
Para facilitar o acesso dos visitantes até o Parque, o II Batalhão da Polícia Militar e a Equipe da Guarda Florestal estarão orientando os locais apropriados para o estacionamento e repassando as informações necessárias. No dia da inauguração, meios de transportes alternativos como vans e micro-ônibus serão disponibilizados para o translado, preferencialmente de idosos, crianças, gestantes e portadores de necessidades especiais.

A solenidade terá início com a execução do hino nacional e arranjo de abertura ao som do berimbau, seguido pelos pronunciamentos das autoridades e aposição da placa inaugural do Parque. Para finalizar o grande dia, acontecerá uma roda de capoeira especial entre renomados mestres e contra-mestres do Estado.

Parque
Construído na Serra da Barriga no então Planalto da Borborema, o local que foi a sede do Quilombo dos Palmares é considerado o templo da resistência negra, além de ser enquadrado como Patrimônio Nacional, Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico.

O Parque possui 11 mil metros quadrados e ocupa 280 hectares, encontra-se em área tombada por meio do Decreto 95.855 de 21 de março de 1988, sob a responsabilidade e zeladoria do Ministério da Cultura, por meio da Fundação Cultural Palmares.
Foram dois anos de intenso trabalho (idealização, pesquisa, sensibilização e construção) executado por uma equipe constituída por aproximadamente 250 pessoas, dentre: pesquisadores, consultores, historiadores, turismólogos, produtores, artistas, artesãos, engenheiros, arquitetos, arqueólogos e moradores da Serra.

Infra-estrutura
Turistas de qualquer parte do mundo poderão aprofundar o conhecimento sobre a saga do povo palmarino que resistiu por quase cem anos aos ataques portugueses e holandeses in loco e pelo site www.quilombodospalmares.org.br. O Parque encontra-se aberto ao público das 8h às 17hs, horário já estabelecido para o acesso a Serra da Barriga.

A infra-estrutura é composta pelo Restaurante Kúuku-Wáana (banquete familiar), Onjó de Farinha (casa de farinha), Casa de Apoio aos Religiosos Onjó Cruzambê (Casa do Campo Santo), Terreiro das Ervas (Oxile das Ervas), Ocas Indígenas, Espaço Batucajé (dança ao som de tambores) com espaço para roda de capoeira, loja de artesanato e posto de informações turísticas, ocas indígenas e o Muxima de Palmares (coração de Palmares), todos em formato de pau-a-pique, cobertura vegetal e madeira de eucalipto alto clavado.

Para favorecer a contemplação, existem placas de sinalização que facilitam o deslocamento dos visitantes, além de textos interpretados em quatro idiomas (português, inglês, espanhol e italiano) instalados em pontos estratégicos com um sistema inédito de áudio. Dentre os artistas nacionais consagrados que emprestaram suas vozes para a locução estão: Carlinhos Brow no Espaço Zumbi: "Palmares é resistência e luta pela liberdade"; Chica Xavier no "Espaço Acotirene: uma saudação aos orixás"; Djavan no "Espaço Caá-puêra: dançando, comendo e bebendo"; Leci Brandão no "Espaço Quilombo: a saga de palmares"; Tony Tornado no "Espaço Ganga-Zumba: Palmares é uma nação"; e no "Espaço Aqualtune: reflexão, meditação e oferendas" com música interpretada por Leila Pinheiro e arranjos do maestro Almir Medeiros.

* Jornalista (1102 – MTE/AL) e Assessora de Imprensa
Contatos: (82) 8831-3231 / helciane.angelica@gmail.com

Veja a programação completa da " Celebração do 20 de novembro em Alagoas" e outras informações no site: http://www.quilombodospalmares.org.br

Lançado Edital para O Monumento Zumbi em Salvador

O MINISTÉRIO DA CULTURA – MinC, através da Fundação Cultural Palmares – FCP, publicou hoje no Diário Oficial da União o edital de concurso público nacional para escolha do projeto para o Monumento Zumbi dos Palmares, em Salvador (BA). A proposta é de criação de uma estátua de bronze a ser instalada na Praça da Sé, marco histórico da cidade, com altura de 2,20m e largura aproximada de 1m, para ser exposta sobre um pedestal em granito com cerca de 1,50m de altura. As inscrições começam no dia 30 de janeiro e vão até 15 de março, por meio da ficha de inscrição disponível a partir do dia 30 no site da Fundação Palmares (www.palmares.gov.br). A premiação, a ser entregue na cerimônia de divulgação dos resultados no dia 30 de março, será de R$ 60 mil (R$ 30 mil para o vencedor, R$ 20 mil para o segundo colocado e R$ 10 mil para o terceiro). O concurso é promovido em co-responsabilidade com a ONG baiana A Mulherada.

A coordenação geral do certame ficará a cargo de uma Comissão Organizadora formada por Afonso Luz, consultor do programa Monumenta/MinC; e Zulu Araújo, presidente interino da Fundação Cultural Palmares. Poderão participar do concurso pessoas físicas e jurídicas brasileiras, mediante apresentação de estudo gráfico devidamente cotado e em escala de escolha compatível com o mapa e as fotografias da praça – ambos também disponíveis no site da FCP a partir do dia 30. Os concorrentes deverão enviar à comissão uma apresentação descritiva e justificativa do memorial; um projeto para a implantação deste; vistas de quatro lados e superior do monumento proposto; e espeficações genéricas dos materiais a empregar e dos serviços a serem executados.
 
Entregues em envelope lacrado, os projetos serão abertos logo após o fim do prazo de entrega dos projetos para julgamento. O julgamento do concurso ficará a cargo de uma Comissão Julgadora, formada por Afonso Luz, consultor do programa Monumenta/MinC; Zulu Araújo, presidente interino da Fundação Cultural Palmares; Márcia Genesia Santana, direitora do Departamento de Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN); e Jorge de Souza Conceição e Lázaro Duarte representantes da ONG A Mulherada. São critérios de julgamento, sem distinção de peso: a qualidade estética do monumento proposto; a clareza da proposta; a exeqüibilidade e viabilidade da tecnologia e materiais propostos; o apelo simbólico compatível com o vulto histórico de Zumbi dos Palmares e com a valorização do espaço público e cultural da Praça da Sé, visto que a unidade de referência encontra se inserida em área tombada pelo Governo Federal; e a indicação, no Memorial Descritivo, das referências a estudos e pesquisas relativas à vida, trajetória e características pessoais de Zumbi dos Palmares.
 
Encerrados os trabalhos da Comissão Julgadora, a ONG A Mulherada montará uma exposição dos trabalhos entregues, com destaque aos eleitos para premiação pela Comissão Julgadora. A exposição será aberta em Salvador, no dia 30 de março, mesma data da divulgação dos resultados do concurso.
 
Terreno da Antiga Sé da Bahia (erguida em 1553 e demolida em 1933), a Praça da Sé é um dos principais pontos de lazer de Salvador. O Monumento a Zumbi dos Palmares será instalado no pedestal anteriormente ocupado pelo monumento ao primeiro-governador do Brasil, Thomé de Souza, transferido em 2005 para a praça de mesmo nome, em frente à Prefeitura de Salvador. A estátua fará companhia ao Memorial das Baianas; ao Monumento a D. Pero Fernandes Sardinha, primeiro Bispo do Brasil; e ao monumento Cruz Caída, de autoria do artista plástico Mário Cravo.
 
Fonte: Capoeira CBC

I Seminário do Painel de Documentação sobre a capoeira baiana em Salvador & Memorial do Mestre Bimba

Neste seminário, aberto ao público, será apresentado o resultado parcial das recentes pesquisas sobre a capoeira baiana na década de 1940 e o memorial de Mestre Bimba, premiadas pelo Projeto Capoeira Viva. A partir da documentação levantada nos principais jornais da época serão abordados os seguintes temas: a afirmação da cultura afro-descendente no universo político-social da capital da Bahia; a institucionalização da capoeira e a expansão da sua vertente regional; as discussões e controversas sobre a origem da capoeira; as disputas entre as capoeiras baiana e carioca; os debates sobre a eficiência da capoeira regional e as outras lutas e a relação entre a capoeira  e o partido comunista do Brasil. Na ocasião, serão exibidas fotografias, notícias da época, e filmes. Este seminário contará com a presença de Jair Moura, Mestre Nenel, Frede Abreu e Adriana Albert. O objetivo principal do evento é trocar conhecimento e compartilhar com os estudiosos e praticantes da capoeira e o público em geral informações sobre a capoeira baiana deste período.
 
I Seminário do Painel de Documentação sobre a capoeira baiana em Salvador & Memorial do Mestre Bimba nos anos de 1940
 
O seminário será realizado no dia 25 de janeiro às 18hs na Casa da Mandinga.
 
Rua: Comendador José Alves Ferreira, n.160, Garcia.
 
Organização: Instituto Jair Moura, Grupo de Estudos Mestre Noronha e Fundação Mestre Bimba.