Capoeirista do Teatro do Boi participa de encontro em Recife
04 Set 2010

Capoeirista do Teatro do Boi participa de encontro em Recife

A roda se forma ao som da percussão. No centro, eles ajeitam o abadá e conferem se a corda está bem amarrada.

04 Set 2010

A roda se forma ao som da percussão. No centro, eles ajeitam o abadá e conferem se a corda está bem amarrada. A cantoria começa, ecos de Zumbi e os dissidentes de Palmares. Logo, tem-se início a ginga, primeiro movimento para enganar o adversário. A princípio, trata-se de apenas uma luta dançante como o intuito de celebrar as raízes negras e o próprio corpo. Até uma ponteira bem dada mostrar o quanto a capoeira pode ser também uma luta de verdade. Essa a cena formada mentalmente após uma conversa com Mestre Diogo, capoeirista piauiense que está de malas prontas para participar do Encontros Pró-Capoeira, de 8 a 10 de setembro.

Reconhecida pelo IPHAN em 2008 como patrimônio cultural, a capoeira vem ganhando destaque não só lá fora como também em nosso Estado. Aqui, a Associação Cultural de Capoeira Ginga Piauí, criada por Mestre Diogo há 10 anos e apoiada pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Monsenhor Chaves, desenvolve atividades e oficinas no Teatro do Boi com grande êxito. Coroando esse sucesso, Mestre Diogo parte quarta-feira, dia 8, para Recife, levando o nome do Piauí aos olimpianos capoeiristas que se reunirão para discutir os caminhos dessa arte secular.

O Programa Nacional de Salvaguarda e Incentivo à Capoeira – Pró-Capoeira, realizado pelo Ministério da Cultura, tem como objetivo geral promover condições para a implementação de uma política participativa visando à manutenção dos sistemas culturais e dos elementos relevantes para as diversas possibilidades de prática dessa forma de expressão. A primeira fase do Encontros Pró-Capoeira acontece na capital de Pernambuco, voltado exclusivamente para os capoeiristas da região Nordeste, sendo um deles Mestre Diogo.

Segundo o Mestre, a importância do Piauí participar desse encontro vai além do reconhecimento das atividades desenvolvidas por aqui perante a comunidade capoeirística. Estar no centro das discussões acerca de políticas públicas para inserir a capoeira em instituições educativas, culturais e de lazer é um atestado do bom trabalho realizado pelo Ginga Piauí em todos esses anos de fomentação e difusão dessa arte de expressão do corpo. “Além disso, serão debatidos temas como respeito à diversidade cultural, transmissão de conhecimentos, difusão de produção intelectual, acadêmica e audiovisual sobre a capoeira, intercâmbio entre praticantes e estudiosos de capoeira do Brasil e de outros países”, explica Mestre Diogo.

E quem disse que um bom gingado não consegue unir os quatro cantos do país em prol do desenvolvimento da cultura e do espírito humano?

FCMC
http://45graus.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

18 − four =