Blog

vadiação

Vendo Artigos etiquetados em: vadiação

Capoeira e seus Cantadores

CAPOEIRA E SEUS CANTADORES

A musicalidade traz em si um elemento fundamental para o desenvolvimento da capoeira, pois ela será responsável pelo encadeamento ritualístico, pela oralidade na construção do conhecimento, pelo “balanço” do jogo e pela construção simbólica da “atmosfera” da “vadiação”.

A musicalidade nunca será uma simples conseqüência fisiológica da articulação bem sucedida entre cordas vocais, músculos da face e diafragma, pois em capoeira a complementaridade entre os diferentes, articulados em propósito comum para o coletivo, supera qualquer perspectiva ou habilidade individual, transformando o bom cantador naquele que mais motiva o coletivo a cantar junto, muitas vezes ofuscando a própria voz de quem puxa o canto, ou seja, cantador de “verdade” na capoeira não é o que mais aparece, mas o que projeta o conjunto da roda em ritual.

O bom cantador nem sempre é aquele com a voz mais bonita e empostada, nem sempre é o que tem a melhor pronuncia e português correto, nem sempre é o que grita mais alto…..O bom cantador é o que cantando encanta, aquele que consegue captar a magia do momento do jogo, fazendo com que sua cantiga seja o “catalisador” de uma química que eleva os capoeiras a um “transe” coletivo, que de tão especial nos faz sonhar acordado.

Não existe bom jogo sem boa musicalidade, pois a organicidade da roda é um complexo sistema multifacetado, lembrando o corpo humano, em que cada órgão cumpre uma função distinta a favor do funcionamento de todo o sistema para que a vida aconteça. Assim, tão importante quanto o “movimento”, aquilo que o impulsiona, harmoniza e qualifica, também deve ser considerado e exercitado, a cantiga.

È impressionante como Mestre Boca Rica, cantando quase sussurrando, com um único berimbau, se espalhou pelo planeta como um vírus positivo da boa capoeiragem……Impressionante como décadas mais tarde, as gravações de Bimba, Pastinha, Waldemar, Canjiquinha, Camafeu de Oxossi e outros, ainda encantam, mesmo sem todos os recursos tecnológicos atuais.

O maior desafio de um grande cantador em capoeira será sempre conseguir captar o “cheiro do dendê“ em uma roda, sendo simples, singelo e traduzindo na poesia de seu canto os mistérios da arte capoeira. Neste sentido, se você deseja qualificar seu canto, te recomendo que antes de cantar tente ouvir mais, e não ouça qualquer coisa, ouça os sons mais elementares produzidos pela mãe natureza, o ronco do mar, a suavidade das ondas, o fluir da cachoeira, o vento nas arvores, trovões e ate mesmo o pingo da chuva caindo no chão, percebendo que cada som deste esta articulado a um contexto especifico e complexo, sendo seu maior sentido a conexão com o todo.

Por fim, aprenda que a cantiga é também uma forma de doação à arte capoeira, portanto, ser um bom cantador será, acima de tudo, a capacidade de brindar os outros com aquilo que temos de melhor, pois o lamento da ladainha emociona e arrepia o outro, também na medida em que o cantador já chorou e se arrepiou antes, incorporando o sentimento expresso em seu cantar. Desta forma, entenda que viver o momento é mais importante do que o resultado final, portanto, não fique preocupado com o impacto de sua voz na roda, mas tente viver junto com seus pares magia do contexto no milésimo de segundo em que sua cantiga toca a fibra mais tênue do coração de quem te escuta, transformando o momento em único e especial para todos.

Vamos cantar mais com a alma!!!!!!!

Mestre Jean Pangolin Portal Capoeira

C.E.C.A. Rio Vermelho – Angola Bienal 2011

ACADEMIA DE JOÃO PEQUENO DE PASTINHA – C.E.C.A.  RIO VERMELHO

A Academia de João Pequeno de Pastinha – Centro Esportivo de Capoeira Angola do Rio Vermelho em Salvador, vem, em sua Bienal 2011, apresentar o seguinte tema para reflexão:

Mestre Faísca e sua ação pela cultura afro-brasileira: O saber do Drº João Pequeno de Pastinha preservado e propagado pelo C. E. C. A. – Rio Vermelho.

Responsável pela direção do núcleo do Rio Vermelho e dos trabalhos a ele relacionados, Mestre Faísca reafirma diariamente o compromisso com a cultura afro-brasileira que lhe foi confiado pelo Doutor João Pequeno de Pastinha quando este o formou Mestre de Capoeira Angola. Buscando sempre a realização de um trabalho voltado à pesquisa e à propagação do saber acumulado pelo Doutor João Pequeno e pela Velha Guarda da Capoeira Angola, Mestre Faísca segue uma linha de transmissão de conhecimento que remete ancestralmente aos Doutores Pastinha e Benedito.

Com uma vida voltada ao aprendizado e ensino da Capoeira Angola, Mestre Faísca oficializa um trabalho que já vinha sendo realizado desde 1989, e cria no ano de 2003, a ONG – João Pequeno de Pastinha, prestando uma homenagem àquele que é sua maior fonte de conhecimentos, com a missão de “preservar a cultura afro-brasileira, através da Capoeira Angola e demais manifestações artísticas, utilizando-as como elemento de mudança sócio-educativa.” Esta iniciativa visa buscar apoio junto ao poder público para os projetos sócio-culturais por ele dirigidos. Projetos estes executados por trabalho voluntário e motivados unicamente pela crença na força da cultura afro-brasileira como uma fonte rica de conhecimento e transformação social.

Exemplo atual de projeto sócio-educativos bem sucedido coordenados por Mestre Faísca, através da Cultura Afro-brasileira como meio de transformação, é o Projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania.

Hoje em dia há, por parte do Estado brasileiro, o reconhecimento da capoeira como um bem cultural surgido a partir da herança africana no Brasil. O que sinaliza uma novidade, pois a arte já foi em períodos anteriores tratada como crime ou como esporte nacional. Tal inovação se deve ao tombamento da capoeira como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo IPHAN em 2008. Momento em que também se atestou oficialmente a existência de um saber transmitido oralmente através de gerações pelos mestres de capoeira, reconhecidos enquanto tais por seus pares.

Também faz parte do contexto atual a obrigatoriedade da temática História Africana, Cultura Afro-brasileira e indigena na Rede de Ensino, determinação imposta pela Lei 11.645/08. Imposição que busca combater uma exclusão histórica destes conjuntos de saberes, fundamentais para a formação do povo brasileiro.

Dessa forma, tendo em vista o caráter do trabalho realizado por Mestre Faísca de preservação da Capoeira Angola – iniciativa que hoje abarca cidades brasileiras  São José do Rio Pardo – SP, Florianópolis – SC e as estrangeiras Bruxelas, Coimbra, Madri e Montevidéu – e o atual estado de relativa inércia do poder público em relação à capoeira e à cultura afro-brasileira, buscamos com a Angola Bienal 2011 destacar a importância que ações como a do C.E.C.A. – Rio Vermelho trazem para a valorização e afirmação da riqueza histórico-cultural da Capoeira Angola para o Brasil e para o mundo.  conjuntos de saberes, fundamentais para a formação do povo brasileiro.

Dessa forma, tendo em vista o caráter do trabalho realizado por Mestre Faísca de preservação da Capoeira Angola – iniciativa que hoje abarca cidades brasileiras  São José do Rio Pardo – SP, Florianópolis – SC e as estrangeiras Bruxelas, Coimbra, Madri e Montevidéu – e o atual estado de relativa inércia do poder público em relação à capoeira e à cultura afro-brasileira, buscamos com a Angola Bienal 2011 destacar a importância que ações como a do C.E.C.A. – Rio Vermelho trazem para a valorização e afirmação da riqueza histórico-cultural da Capoeira Angola para o Brasil e para o mundo.

 

PROGRAMAÇÃO

11/01 – Terça feira

15:00h – Boas vindas aos participantes, visita à comunidade do Vale das Pedrinhas e ao bairro Rio vermelho.

Local: Sede do C.E.C.A – Raimundo Viana, 61-E Rio Vermelho

12/01 – Quarta feira

17:00h – Oficina de Capoeira Angola: Teórico, Prático, Ritmo.

Formador: Mestre Faísca

Local: SESC – Piatã

13/01 –Quinta feira

08:00h – Oficina de Construção do instr. musical  ATABAQUE

Formador: Mestre Zé do Lenço

Local: Sede do C.E.C.A. – Raimundo Viana, 61-E Rio Vermelho

19:00h – Participação na tradicional vadiação da AJPP-CECA

Local: Forte Santo Antônio além do Carmo

 

14/01 – Sexta feira

09:00h – Oficina de Samba de roda do recôncavo

Formador: Mestre Pelé da Bomba

 

15:00h – Exposição de fotos e Mostra de vídeo.

17:00h – Em cena: Projeto João e Maria C.A. e cidadania

17:30h – Palestra: “Valorização e afirmação da riqueza histórico-cultural afro-brasileira para o Brasil e  o mundo”.

Palestrantes – Mestre Faísca – Ativista Social e Cultural

–  A definir

Local: Sede do C.E.C.A. – Raimundo Viana, 61-E Rio Vermelho

15/01– Sábado

 

08:30h Oficina de Capoeira Angola: Teórico, Prático  e Ritmo avançado.

15:00 h – Reunião da Rede CECA Rio Vermelho

16:30 h – Vadiação de Capoeira Angola e Samba de Roda, exclusivo aos integrantes da oficina.

Formador: Mestre Faísca

Local: SESC – Piatã

 

16/01 – Domingo

15:00h –  Vadiação  de capoeira com  a velha e jovem guarda da Capoeira Angola

 

· Apresentação de Mestres e Professores

· Vadiação com Alunos C.E.C.A. e convidados

· Entrega de carteiras para  rede CECA – RV

·              Vadiação de Mestres e Professores

 

20:00h – Roda de Samba

 

Mestre Pelé da Bomba e CECA Rio vermelho

 

Local: Anfiteatro do SESC/ SENAC Pelourinho.

 

Capoeirista traje: camisa de manga, calça e sapato.

 

O Evento é aberta ao público, exceto as oficinas.

 

Valor das 4 Oficinas: R$ 100,00

Obs. Haverá sorteio de atabaque aos inscritos nas oficinas

Inscrição e informações: mestrefaisca@hotmail.com

www.ceca-riovermelho.org.br

(71) 3345-2311 / 8813-9060 / 9214-5476

Vagas limitadas

Aconteceu: Vadiação na Varanda do Cazuá

A Família Cazuá estava em festa…

Mais uma vez recebeu os camaradas: Mestre Roberval e contramestre Dorado e também contou com a presenca de 2 alunas do Brasil, as treinéis Malvadeza e Pecadinho que no momento estão no Cazuá pra reforcar o time .

O evento contou com varias pessoas de todos os lados forão 3 dias de muita vadiação e muita festa !

Para quem perdeu esta festa não precisa se preocupar pois em outubro iremos realizar o 3º aniversário do do Nucleo Irmão Guerreiros na Alemanha, nos dias 5, 6 e 7 de outubro.

Todos estão convidados.

Cazuá

Abraços e muito obrigado irmão, a família Cazuá agradece

axé
ctr perna

www.capoeira-angola-bremen.de

 

Contramestre Perna Longa, o responsável pelo Grupo Irmãos Guerreiros, núcleo Alemanha, covida todos pra vadiar na varanda do Cazuá (Nome carinhoso e cheio de significado para o pessoal da família IG) em Bremem, Alemanha.
Dia 27, 28 e 29 Mestre Roberval, Contramestre Perna Longa, Contramestre Dorado e mais duas alunas do Brasil, trenéis Pecadinho e Malvadeza irão comandar a festa e a vadiação…

Um evento importante cujo destaque é a presença de Mestre Roberval e a qualidade de capoeira praticada e ensinada pela família Irmãos Guerreiros.

Luciano Milani
Cazuá
Visite o site oficial do Cazuá do Contra Mestre Pernal Longa:
www.capoeira-angola-bremen.de

Grupo Negaça convida: VADIAÇÃO EM DOSE DUPLA

Convidamos a todos a participarem da
VADIAÇÃO EM DOSE DUPLA
 
Barracão da Fábrica do Mestre Cavaco
Data: 06 / 05 / 2006 – Sábado
Horário: apartir das 16:00
End: Rua Marieta da Silva, 197 – Vila Guilherme – SP
 


 
Parque do Trianon
CAPOEIRA ANGOLA E SAMBA DE RODA
Data: 07 / 05 / 2006 – Domingo
Horário: das 15:00 ás 17:00
Local: Parque do Trianon – Av. Paulista entrada principal
 
INFORMAÇÕES: Fone: ( 55 11 ) 6901-1365
MESTRE CAVACO
 
Ultimas Fotos: Pq do Trianon 09 / 04 / 06
Acompanhem nosso Calendário: Calendério 2006
 
 
Abraço a todos: Mestre Cavaco / Trenel Ratão
www.negaca.com

Angola de Itaparica (BA) em novo espaço de São Paulo

Mestre Jaime de Mar Grande, autêntico angoleiro da Ilha de Itaparica, dá início a novo trabalho na Mooca, capital de São Paulo.
 
Quando se fala em Capoeira Angola, de pronto vem à mente a Mandingueira Cidade de São Salvador da Bahia. Pouco se fala da angola das demais regiões do Recôncavo, de Santo Amaro da Purificação (Saravá Mestre Gato Preto!) e do interior do Estado, como é o caso de Feira de Santana onde Mestre Cláudio Angoleiro – que frequentemente carimba seu Passaport por toda a Europa – mantêm um trabalho exemplar de resgate e preservação das tradições de nossa Dança de Nêgo Banto-Nagô.
Pouco se fala também da Ilha de Itaparica, recanto de excelentes angoleiros, excelentes cantadores de samba e de representantes da legítima Cultura Afro-Braiana.
 
Assim como a Capoeira já não pertence exclusivamente ao Brasil – em breve será tombada como Patrimônio Cultural Mundial " a Capoeira Angola não se restringe mais somente à Bahia. Até mesmo por conta do exemplar trabalho de divulgação e de ensino que os velhos mestres fizeram para que a angola prosperasse em outras paragens. Mestres como Caiçara, Canjiquinha, Boca Rica, Paulo dos Anjos e Gato Preto, por exemplo, constantemente viajaram e passaram algum tempo no Sudeste e Sul do Brasil, ensinando suas angolas. Graças ao elevado quilate desses mestres, muitos discípulos se formaram ao longo das últimas três décadas.
 
Quando falo de Capoeira Angola, falo em um "sentido plural", uma vez que seria impossível restringi-la a uma ou outra forma de praticá-la ou de concebê-la.
 
Por falar em Itaparica, Mestre Jaime de Mar Grande é um legítimo representante da Angola daquela Ilha. Capoeira Angola de Raiz, de Tradição e de Fundamento, Mestre Jaime aprendeu com Mestre Paulo dos Anjos, que por sua vez foi discípulo de Mestre Canjiquinha.
 
O primeiro contato de Jaime com a Angola de Mestre Paulo foi em Mar Grande, costa leste de Itaparica, no ano de 1965, quando Paulo dos Anjos mudou-se por um tempo de Salvador para a Ilha, e ali passou a ensinar "seus meninos". De lá para cá muita coisa mudou na capoeira como um todo, mas mestre Jaime sempre praticou e preservou o que seu mestre lhe ensinou e confiou.
 
Hoje, por São Paulo, existem outros representantes da Capoeira Angola de Mestre Paulo, como é o caso dos Mestres Jequié (Ubatuba), Raimundinho (Jacareí) e Dominguinhos (São Sebastião).
 
ESPAÇO DE VADIAÇÃO "RABO DE ARRAIA"
 
Em Mar Grande, Mestre Jaime orienta um trabalho que deu início há muitos anos. Mas há dois ou três anos o mestre se achegou pela "Terra da Garoa", por onde, com seu carisma e simplicidade, tem conquistado o respeito dos Capoeiras Paulistas e Paulistanos. Na Ilha, o grupo do Mestre é a Associação Cultural de Capoeira Angola Escrava Anastácia.
Em São Paulo, neste mês de Junho, Mestre Jaime está dando início a um novo trabalho, em um espaço que, em primeiro momento, está sendo batizado de "Espaço de Vadiação Rabo de Arraia", em parceria com o amigo Fernandes Wellington, que não por coincidência é contramestre de Capoeira.
            A inauguração do novo espaço será no próximo dia 18 de Junho de 2005, sábado, a partir das 16h00, Rua da Mooca, 3108, Mooca, São Paulo, próximo ao metro Bresser, e a duas quadras da Faculdade São Judas.
            Mestre Jaime estende convite a todos os amigos e capoeiras da Capital Paulistana, do Interior do Estado, do Vale do Paraíba e do Litoral Norte – além dos capoeiras que estiverem passando por Sampa no dia. Seu novo "Campo de Vadiação" e promete:
 
"Neste espaço, vou dar início ao mesmo trabalho que desenvolvo na Ilha, com a legítima Capoeira Angola de Itaparica!"
 
 A Roda Inaugural será uma homenagem especial ao Mestre Gerson Quadrado, Capoeirista, Cantadô, Poeta, Compositor e Artista Popular da rica cultura da Ilha. Mestre Gerson fez sua "passagem" em 17 de abril de 2005, às vésperas da comemoração de sua octogésima "Vorta do Mundo", momento em que seria lançado seu novo CD Samba Tradicional da Ilha (STI). Mestre Jaime de Mar Grande é o responsável pelo retorno de mestre Gerson Quadrado à Capoeira, em 1993, e com ele privou de respeitável convivência a partir de então. O CD foi elaborado com auxílio de diversos "pares", dentre eles a musicóloga alemã Catarina Dorin. Por email, mestre Jaime informa que o CD está pronto e que será lançado nos próximos dias.
 
Se para você a Capoeira é a arte de vadiar, então venha vadiar neste novo "Terreiro de Angola da Capital Paulista".
 
Contatos com Mestre Jaime: (11) 3399-4927, (11) 9954-6668 ou então por email: jaimedemargrande@hotmail.com. O espaço estará abrindo novas turmas já neste mês de junho, em diversos horários e dias da semana.
 
"Êê meu irmão
 Vocês me traz alegria
 Eu sei que vocês são a letra
 E eu sou… a melodia"
     (M.Gerson Francisco Quadrado).
 
Simbora Vadiá… e Dá-lhe volta do mundo!
Yêêê!
 
Miltinho Astronauta – www.capoeira.jex.com.br
 

Vadiação no Parque do Trianon

O Grupo Negaça Capoeira Angola Convida todos os nossos amigos para Vadiação no Parque do Trianon com muita Capoeira Angola e Samba de Roda.
 
Local: Parque do Trianon, entrada principal pela Av. Paulista
Dia: 19 / 06 / 2005 – Domingo
Horário: das 15:00 às 17:00hrs
Contato: Mestre Cavaco: (55 11) 6901-1365
 
Veja as fotos da última roda: http://www.negaca.com/trianon_050605.htm
 
Agende-se aí galera, pois no dia 02 / 07/ 2005 o Grupo Negaça estará completando 10 anos, onde iremos realizar uma tarde com muita capoeira e samba de roda. Logo passaremos a programação.
 
Fone : (55-11)-6901-1365
Mestre Cavaco
 
Abraço a todos
Ratão

CD Boa voz Vol 2

Lançamento de qualidade!!!
CD Boa voz Vol 2
Músicas:
01 – Lenda viva
02 – Lamento do berimbau
03 – Livre arbítrio
04 – Pau que nasce torto (papagaio velho)
05 – Peleja de riachão
06 – O sabiá
07 – Berimbau viola
08 – Vadiação
09 – Baleiro
10 – Coisa mandada
11 – Acende a luz
12 – Mundo enganador
13 – Graúna
14 – Eu vi relampear
15 – A moça do sobrado
16 – A carta de besouro
17 – Abalou cachoeira

Mestres: Bugalho – Traíra – Waldemar

 
Mestre Bugalho – Mestre Traíra – Mestre Waldemar


Foto extraida do filme "Vadiação",
de Alexandre Robatto Filho
produzido em 1954,
Participação: Traíra, Curió, Nagé, Bimba, Waldemar, Caiçara, Crispim, Bugalho… entre outros